Governança Corporativa – A era da empresa limpa chega de vez

XE948A29FC9364B89B528F8F5AF96F349

Lei auxilia a investigação dos envolvidos em práticas de corrupção, fortalecendo a ética nos negócios

A Lei 12.846, de 2013, conhecida como “Lei Anticorrupção” (ou também “Lei da Empresa Limpa”), é um importante instrumento para reforçar a ética nos negócios, principalmente por favorecer a investigação e a punição dos envolvidos em práticas que envolvam corrupção. O tema exige atenção por parte das empresas para garantir um relacionamento adequado com as instâncias governamentais.

“Entender como os processos de compliance podem dar maior segurança às organizações e ao cumprimento dos seus próprios valores éticos é essencial neste novo cenário”, destaca Ronaldo Fragoso, líder da área de Consultoria em Gestão de Riscos Empresariais da Deloitte.

Fragoso explica que as empresas precisam adotar uma série de medidas que inibam atos de corrupção por parte de seus executivos, funcionários, fornecedores e parceiros de negócios, trazendo à tona a importância das ações de compliance. Estas têm como objetivo proporcionar segurança para empresas quanto à aderência às regulamentações do mercado, às legislações específicas do seu setor e, agora também, às regras aplicáveis ao relacionamento entre iniciativa privada e setor público. “As práticas de compliance devem envolver a adoção de códigos de conduta, treinamentos e aplicação de programas que combatam a corrupção dentro das empresas”, destaca o especialista.

José Paulo Rocha, líder da prática Forense da Deloitte, destaca a importância de conhecer as exigências da nova lei e saber lidar com os grandes desafios que ela impõe. “Estar preparado para conduzir investigações internas de transações suspeitas, e saber lidar com órgãos reguladores e autoridades legais é fundamental para controlar o processo e mitigar as consequências financeiras e de reputação da empresa.”


Pesquisa inédita sobre o tema

A Deloitte divulga, na próxima sexta-feira, dia 28 de novembro, os resultados completos do estudo “Lei Anticorrupção – Um Retrato das Práticas de Compliance na Era da Empresa Limpa”, que contou com a participação de mais de 120 corporações, com faixas de faturamento de R$ 50 milhões a 
R$ 2,5 bilhões ao ano. Confira a seguir, em primeira mão, alguns dos resultados do levantamento.


Investimento em compliance

A seguir, as respostas das empresas para as faixas de investimento dedicado à manutenção de uma estrutura de conformidade com práticas de treinamento, tecnologia e canais de denúncia.

76% das empresas investem até R$ 1 milhão por ano

18% investem de R$ 1 milhão a R$ 5 milhões

6% investem mais de R$ 5 milhões


Política anticorrupção

Apesar de contar com políticas, a ocorrência de suspeitas de corrupção no ambiente interno ainda é muito grande.

66% das empresas participantes 
disseram ter política anticorrupção

55% responderam que 
a empresa teve casos 
suspeitos de corrupção

O custo anual da corrupção equivale a 
US$ 2,6 trilhões, cerca de 5% de
todas as riquezas produzidas no mundo no mesmo período

Fonte: Fórum Econômico Mundial, 2014

Questões críticas relacionadas à corrupção na visão das empresas


Áreas mais expostas ao risco de corrupção

– Suprimentos (compras)
– Comercial (vendas)
– Relacionamento com o setor público
– Gestão de obras
– Licenças e protocolos


Principais meios apontados para reduzir o risco de corrupção

– Compromisso da alta administração
– Treinamento adequado e amplo
– Clara comunicação das políticas


No setor em que atuam, as empresas apontam as formas de corrupção mais frequentes

– 
Pagamentos indiretos (para agentes, representantes, intermediários etc)
– Presentes, brindes, hospitalidade, entretenimento, viagens inapropriadas
– Facilitação de licenças


Texto retirado do site do Estadão:

http://patrocinado.estadao.com.br/deloitte/artigos/governanca-corporativa-a-era-da-empresa-limpa-chega-de-vez,1597356

Texto da Delloite


Todo mundo ama um gênio criativo

unleash-creativityO prodígio de cabelos encaracolados … aquele mais experiente, a diva pop … o geek trapalhão cujo QI supera seu vocabulário.

Agora, se nós pudéssemos ser apenas um, ou ficar perto de um, ou contratar um,  tudo daria certo. Na filosofia do ‘inovar ou morrer’ todo mundo está procurando a próxima grande coisa, ou a próxima melhor coisa grande, ou um grande alguém que possa vir com a próxima grande coisa. Por vezes, essa estratégia pode funcionar. Mas para o resto de nós …

Vou ignorar os mercados por enquanto (mas… esses princípios podem ser aplicados) e apenas concentrar em incutir novas ideias em organizações já existentes. O processo criativo no chamado “início” de uma inovação fica o centro das atenções como o prodígio, diva ou gênio que faz a sua magia e cria uma nova grande coisa que fascina o mundo. Se essa visão vai de encontro às expectativas dependerá em parte da força da idéia, produto ou inovação, mas também da capacidade da organização de desenvolver, implementar e impulsionar a adoção de inovações. Este é um processo de aprendizagem organizacional. Algumas empresas fazem isso bem, outras não tão bem.

Um modelo simples, mas eficaz para a visualização deste processo de aprendizagem organizacional é o modelo 4i (Crossan, Lane e Branco, 1999). Suas quatro fases incluem intuição, interpretação, integração e institucionalização de ideias, inovações ou de aprendizagem em uma organização. Em cada fase, diferentes abordagens são necessárias para o sucesso.

Intuir – esta é a parte criativa e cognitiva pessoal, que dá início ao processo de inovação. Poderia ser uma invenção ou apenas criar algo semelhante ao existente, mas mais barato, melhor, mais rápido. Pode ser um produto ou um processo. A criatividade é geralmente o resultado de pensamento prolongado, não da intervenção divina.

Interpretação – Esta é a parte complicada. O criador tem de desenvolver e apresentar a ideia em um formato para que os outros possam compreender. Assim, eles podem visualizar, um protótipo, empregar testes de mercado, amostras, crowd-funding ou argumentos pessoais, não só para convencer os outros do mérito da ideia, mas também para apoiar e até mesmo evangelizar o conceito. Ganhar corações e mentes nesta fase é fundamental para a viagem de qualquer nova ideia.

Integração – o próximo teste para a nossa nova ideia brilhante é a prática. Pode ser implementado ou integrados em linhas de produtos ou processos já existentes? Será que vai complementar ou competir com os procedimentos existentes? As pessoas vão aceitar e adotar o novo produto ou maneira de fazer as coisas? Os métodos utilizados incluem pilotar aqui e socializar a ideia com  processos existentes e/ou novos para garantir que a inovação irá, de fato, melhorar o status quo.

Institucionalização – nesta fase final a inovação deve ser incorporada no tecido da organização para que se torne parte da forma como as coisas são feitas. Isso exigirá educação, motivação e programas de mudança com funcionários, parceiros e clientes. Ela deve incluir vários loops de feedback para que a organização pode medir, melhorar e aprender com a sua implementação.

Cada etapa alimenta e retroalimenta todo o processo e evolui da esfera individual para abordagens de aprendizagem social. Ela exige educar e motivar as pessoas e equipes para agir sobre a mudança. Muitas boas ideias nas organizações tem uma morte lenta na fase dois, assim, para desenvolver não só a capacidade de criar, mas também demonstrar, novas ideias devem ser uma inovação sobre elas mesmo.

Se suas ideias estão moribundas, murchando, extinta ou apenas mancando por favor me dê uma chamada!

Livre tradução de um post do Blog do Paul McKey

Cinco dicas para negociar melhor com quase todo mundo

negociarSe você for pensar, usamos a negociação de várias maneiras quase todos os dias. De resolução de conflitos a lidar com clientes ou fornecedores, para tentar reduzir a sua fatura de TV a cabo ou pedir um aumento para o chefe. A chave para a negociação é conseguir o que você precisa / quer, e ao mesmo tempo, não enganar ou negligenciar as necessidades da outra pessoa / quer. Este é o verdadeiro desafio.

Os especialistas listam cinco dicas principais que devem ser observadas, ou seguidas.

OUVIR
Ouvir é uma habilidade bastante subestimada no mundo de hoje. É tão fácil supor que os outros estão dizendo ou (como é meu hábito ao longo do tempo) terminar o que os outros estão dizendo para eles. Ouvir é definitivamente uma daquelas coisas que é mais fácil para os outros. Eu diria que eu sou um ouvinte médio, mas eu tenho uma tendência a cochilar mentalmente, desligando quando os outros estão falando. Eu realmente tenho que concentrar no que os outros estão dizendo e processar as coisas.
A importância de ouvir é porque assim você  vai conseguir fazer duas coisas: fará com que a outra parte se sinta respeitada e que vai construir uma confiança (outro aspecto muito importante em qualquer negociação). Ouvir é fazer você ter certeza do que você ouviu é realmente correto. Meu chefe faz isso muito bem. Ele sempre repete para você (espelho) o que você disser para ter certeza de que este é o entendimento.

PROCURE UM RESULTADO DO TIPO “GANHA-GANHA”
Quantas vezes você está tão focado em conseguir o que você quer em uma negociação, que você nem pensa na outra pessoa? Quando eu soube que os especialistas em negociação sempre buscam uma solução “ganha-ganha”, em um acordo de troca, fiquei um pouco chocado. Isto pareceu ir contra o propósito da negociação. Você não deveria derrubar o outro para fora e levar tudo? Na realidade, os negociadores “ganha-ganha” parecem ter mais sucesso.
Tentei usar essa abordagem com meu filho e parece que está dando certo. Por exemplo: como a maioria dos garotos de sua idade, ele é muito independente. Ele quer que nós “fiquemos de fora da sua vida”, tanto quanto possível. E embora não possamos fazer isso totalmente  porque ainda estamos lhe apoiando financeiramente, ainda podemos apontar para uma solução ganha-ganha. Então, vamos dizer “para nós sairmos da sua vida, você precisa ….” Então, ele vai conseguir o que quer (nós, fora de sua vida + ganhando mais liberdade / independência) e que vai ter que precisamos (ele seguindo regras, sendo feito o que precisa ser feito, etc.) Um resultado ganha-ganha é realmente a melhor maneira de abordar as negociações.

ENCONTRE SEMELHANÇAS COM SEU OPOSITOR
Outro aspecto fundamental para a negociação é estar à procura de coisas que você e a outra parte tenham em comum. Se você já assistiu o espetáculo “American Pickers” no History Channel, você sabe o quão eficaz Mike e Frank (os catadores) são no sentido de conseguir um acordo decente em colecionáveis. Um dos objetos que Mike gosta de encontrar são motos antigas. E às vezes, quando ele está lidando com um outro moto entusiasta, ele vai falar sobre o seu amor por motos antigas. Quando você pode compartilhar um interesse comum ou encontrar um terreno comum com a outra pessoa, elas terão mais dificuldade em estar em confronto com você.

RECONHEÇA AS CONTRAPARTIDAS OU OBJEÇÕES
Uma maneira que outra parte vai procurar para terminar uma negociação antes que você possa obter o que você precisa / quer é oferecer uma contraproposta ou objeção a sua proposta. Por exemplo: durante o meu pedido para reduzir a nossa conta da TV a cabo, o representante disse: “Eu não tenho autoridade para lhe dar isso.” Eles estavam na esperança que isto iria acabar com a discussão e que eu iria desistir Isto funciona, porque muitas pessoas desistem neste momento.
Mas, para combater uma contraproposta você deve reconhecê-las: “Eu entendo que você não tem autoridade para me dar uma redução na conta deste contrato, mas você conhece alguém que pode?” OU “Eu sei que você não tem essa autoridade , mas, eu posso falar com seu supervisor ou alguém da retenção de clientes? ”
Reconhecendo objeções faz a outra pessoa se sentir ouvido e evita que se encerre a discussão.

Tenho certeza de que você já recebeu um telefonema de telemarketing:
Que você disse: “Eu não posso pagar isso agora.”
E eles responderam: “Eu posso entender que você não tem o dinheiro agora. E se a gente oferece um plano de parcelamento, você pode pagar um quarto adiantado e o resto mais tarde. Posso anotar o número do seu cartão de crédito e pode ter seu pedido processado? ”
Eles usam o tempo todo nas vendas. Não tenha medo de adicionar ao seu arsenal.

AUMENTE O BOLO
Às vezes, quando estamos em uma negociação ficamos tão centrados em uma coisa, que nos esquecemos que pode haver outras possibilidades. Os especialistas recomendam pensar em um bolo maior neste É uma tentativa de negociar fora da caixa.
Durante o meu pedido aumento, meu chefe não era capaz de me dar o que eu queria. Mas, ele falou sobre como trabalhar em conjunto para obter esse aumento mais tarde através de uma promoção ou mais responsabilidade. Pensando fora da caixa, você é capaz de oferecer mais do que o que estava originalmente sobre a mesa, aumentando suas chances de sucesso na negociação.

Como transformar nossas fraquezas em forças

forçaNós todos temos pontos fracos, e nós tendemos a trabalhar para eliminá-los – a mudar a nós mesmos, a fim de tornar-mos melhor. Mas a mudança é difícil, muito difícil. E se em vez de tentar eliminar as nossas fraquezas, nós nos abraçamos-los para o que eram?

Alguns meses atrás, meu amigo Ben Rosner, CEO da e-home e um colega de Organização do Empreendedor, liderou uma atividade em pontos fracos e fortes com o meu grupo Fórum OE, com base no excelente manifesto, O Fator Anormal, de David Rendall. Eu achei a atividade muito perspicaz e inspiradora, por isso, fiz a atividade com a minha equipe na Likeable Local e, em seguida, com a nossa equipe na Likeable Media. Eu pensei que eu poderia compartilhar com você aqui também:
Pense sobre suas maiores fraquezas no trabalho e na vida. Com quais pontos você está mais infeliz? Da seguinte lista de 16 fraquezas típicas, olhe com cuidado e escolha as três que mais se aplicam a você:
1) Desorganizado
2) Inflexível
3) Teimoso
4) inconsistente
5) Desagradável
6) Emotivo
7) Tímido
8) Irresponsável
9) Chato
10) Irrealista
11) Negativo
12) Intimidador
13) Fraco
14) Arrogante
15) Indeciso
16) Impaciente
Selecionou suas três maiores fraquezas? Grande. (Não fique muito deprimido, o resto desta atividade é mais divertido). Em seguida, observe a lista abaixo, encontramos os mesmos três pontos fracos, e agora veja as características à direita de cada uma das suas três maiores fraquezas:
1) Desorganizado —> Creative
2) bInflexível —> Organizado
3) Teimoso —> Dedicado
4) inconsistente —> Flexível
5) Desagradável —> Entusiasmado
6) Emotivo — Calmo
7) Tímido —> Reflexivo
8) Irresponsible — Aventureiro
9) Chato —> Responsável
10) Irrealista —> Positivo
11) Negativo —> Realista
12) Intimidador —> Assertivo
13) Fraco —> Humilde
14) Arrogante —> Auto-confiante
15) Indeciso —> Paciente
16) Impaciente —> Apaixonado
As três qualidades à direita de suas fraquezas três são algumas das suas as forças.
Escondido em suas fraquezas estão os seus pontos fortes.Cada ponto fraco tem uma força correspondente.

A idéia aqui é simples: em vez de tentar mudar os seus pontos fracos, vamos aceitá-los. Não tente resolvê-los – é muito difícil. Em vez disso, certifique-se de alavancar seus pontos fortes associados. Você pode olhar para os colegas, subordinados, supervisores e até mesmo para preencher as lacunas onde você é mais fraco. Não tenha medo de pedir às pessoas para ajudá-eles podem agregar valor onde você está mais fraco. Mas não se esqueça de abraçar seus pontos fortes, e construir a partir deles. Afinal, seus pontos fortes (mesmo aqueles disfarçados de fraquezas) – vão levar sua carreira e sua vida.

(Livre tradução do post de Dave Kerpen no Linkedin)

Custo da Interrupção vs. Custo de um Plano de Recuperação de Desastre

Disaster Recovery PlanAo assistir a uma conferência sobre tecnologia, um apresentador mostrou um número que deveria horrorizar qualquer líder de indústria. Um estudo recente feito pelo Grupo Abeerdeen mostrou que uma empresa perde em média US $ 182 mil por hora de paralisação. Isto parece um pouco baixo, se você me perguntar, mas mais uma vez eu acho que tudo depende do seu negócio.

Por exemplo, uma imobiliária que gerencia listas de casas para venda  fica offline, a interrupção vai afetar centenas de pessoas. Quase todos os corretor de imóveis na área ficarão completamente cegos, para não mencionar a inconveniência a todos os compradores e eventuais vendedores.

Imagine o tempo perdido e a produtividade.

Além disso, considere uma falha de sistema do computador de uma empresa que gerencia um estacionamento em qualquer cidade metropolitana. A empresa se ​​torna incapaz de processar os clientes dentro ou fora de suas áreas de estacionamento?

Estes são exemplos simples de interrupções que ocorrem com freqüência, mas ainda muitas dessas empresas não têm nenhum plano detalhado do que, como e onde se recuperar, levando a outras interrupções . Ao considerar as questões jurídicas que possam surgir a partir desses cortes, a empresa pode perder muito mais do que $ 182.000 por hora. Considerando taxas legais ao custo de uma interrupção é uma perspectiva assustadora para qualquer empresário.

Agora some ao dinheiro perdido por hora o fato de que a maioria das empresas não têm um plano de Recuperação de Disastre (DRP) em execução porque alguém na gestão decidiu que não é uma prioridade. O melhor driver para um plano de DRP é um evento histórico.

Quando você será afetado e quanto vai custar a sua empresa?

Porque você deveria ser uma pessoa matinal.

MatinalAviso: Neste post, vou convencê-lo a a ser uma pessoa matinal.

Você já ouviu isso antes. Pessoas matutinas fazer mais. Pessoas matutinas são mais eficazes em tudo que fazem. Pessoas matutinas vencem mais. Eles poderiam muito bem de cara limpa dizer o que eles realmente querem dizer: as pessoas matinais desenvolvem melhor na vida.

Se vai ou não acreditar, a realidade é que as pessoas matinais parece que fazem muito mais , e até aquelas “corujas” noturnas têm relatado que em curtos períodos de da manhã , quando acordam, se sentiram mais produtivo, mesmo se eles realmente não são.

E este é o meu ponto: mesmo se eles realmente não são.

Mesmo se auto-proclamando como geneticamente noturno e tendo trabalhado duro para me tornar uma pessoa da manhã (em diferentes graus de sucesso, dependendo da época), eu concordo que acordar de manhã faz você se sentir que fez mais.

Fazendo muito entre 1h00 – 04h00, como todas as corujas da noite, invariavelmente, me faz sentir atrasado quando eu me arrasto para fora da cama por volta do meio-dia . Em contraste, acordando às 5h30, vendo o sol nascer (surpresa!) , faz você literalmente, sentir que bateu todos na primeira competição do dia – sair da cama – é um sentimento que não pode ser batido.

Então, experimente fazer isto, mesmo que você seja uma coruja da noite. E depois me diga que você não sente que está fazendo mais.

E, quando você tentar fazer isso, pense sobre como criar uma grande e profícua rotina matinal.

(Livre tradução do Post da Claire Diaz-Ortiz em http://linkd.in/15vzqAB)

Algumas metas para profissionais de TI em 2013

Carreira de TIUm novo ano está quase começando. 2012 provou ser um ano tumultuado para os profissionais de TI, e 2013 aparenta ser tão desafiador quanto. Contudo, o mercado de trabalho da TI tem, lentamente, ganhado força à medida que mais empresas começam a crescer e a adicionar funcionários, empregados que esperaram por esta mudança e estão se preparando para iniciar seus trabalhos.

Mesmo que você esteja feliz com seu trabalho ou papel na TI atual, existe uma chance de que você possa se ver buscando por um novo cargo este ano devido ao outsourcing ou reorganização.

De acordo com estatísticas recentes, o trabalhador de TI normalmente permanece em seu cargo atual por não mais que 4,4 anos. Então o que você pode fazer para proteger-se? Preparar-se para tudo. Você não pode impedir o progresso, a única escolha é evoluir com a tecnologia ou ficar para trás.

Com isso em mente, aqui está nossa lista de nove metas relacionadas à carreira para serem conquistadas em 2013.

1. Trabalhar melhor para compreender minha indústria

“Saiba especificamente como e onde você se encaixa, onde e como você pode ajudar. Então você será considerado inestimável”, conta Ross MacPherson, presidente da Career Quest e especialista em estratégias avançadas de carreira.

Você talvez seja o melhor programador do mundo, mas o que as empresas realmente querem são pessoas que compreendam o lado dos negócios também. Então vá para um evento, configure alertas do Google News para coisas importantes na indústria ou junte-se ao LinkedIn, Yahoo Groups e se envolva. Saber o que está acontecendo na indústria lhe dará uma vantagem sobre sua concorrência.

“Muitos dos fracassos da vida ocorrem com as pessoas que não reconheceram o quão próximo elas estavam do sucesso quando desistiram”. -Thomas Edison

2. Construir um mapa de carreira

Muitas empresas hoje, tanto grandes quanto pequenas, não possuem planos de carreira bem definidos para suas forças de trabalho de TI. É por isso que criar o seu próprio plano pode ser útil na determinação de seus pontos fortes e fracos, como também na identificação de objetivos claros de carreira.

“Ninguém é responsável por sua carreira a não ser você – sua empresa não é responsável, nem seu chefe – apenas VOCÊ. Projete uma ótima carreira e faça acontecer”, conta MacPherson.

Seu mapa pessoal de carreira deve incluir o seguinte:

-> Um perfil de funcionário que liste os cargos e papeis que você já possuiu (seja específico).
-> Uma ideia ou cargo almejado que inclua cargos dentro e fora de sua empresa.
-> Uma análise de suas habilidades e um plano para suprir qualquer falta de habilidade.
-> Uma rede de profissionais que você possa trabalhar e utilizar como fonte de conselhos quando necessário.
Construir um plano de carreira próprio lhe ajudará a fazer um trabalho melhor, concentrando-se na sua busca de emprego. Então faça. Para saber mais sobre mapeamento de carreira, aqui está um artigo recente que aborda o básico.

“Controle seu próprio destino, ou alguém irá controlá-lo”. – Steve Jobs

3. Atualizar o Currículo

Ter seu currículo atualizado e preparado pode fazer maravilhas quando o assunto é aliviar sua mente. Você pode garantir que verificar ocasionalmente a fim de atualizar seu currículo é muito mais fácil do que ter de fazer uma inspeção do mesmo durante uma crise.

“Seu currículo é um documento de marketing. Você precisa vender sua experiência e se destacar entre os outros que podem ser tão qualificados quanto você”, conta MacPherson.

Construa seu currículo com o cargo que você tem em mente. Destaque suas habilidades que são relevantes para aquele cargo. Busque em fóruns de trabalho e veja as palavras chave que os recrutadores estão utilizando e adicione-as onde elas se encaixarem em seu currículo. Inclua honrarias, prêmios e qualquer programa de responsabilidade social no qual você participou ativamente. Seminários ou cursos são, muitas vezes, ignorados aqui também.

Não está com disposição para lidar com as mecânicas da escrita de um currículo? Bem, existem muitas empresas de serviços de carreira por aí que trabalharão para alcançar seus objetivos de carreira na TI, queira você criar um currículo vendedor, construir uma presença social ou mudar completamente de carreira.

Para mais informações sobre a elaboração de currículos, verifique a série de reportagens sobre reforma de currículos da CIO americana.

“Escolha um trabalho de que gostes, e não terás que trabalhar nem um dia na tua vida”. – Confucius

4. Construir uma página pessoal para a marca pessoal

Grande parte dos profissionais poderia passar, talvez, sem uma página de internet contendo sua marca registrada, mas você trabalha com TI, a internet é parte de sua vida. Esta abordagem funciona melhor para pessoas que querem mostrar muitas informações sobre trabalhos e produtos passados. Serve como o portfólio online deles. O conselho de MacPherson é: “Não faça do seu site um armazém de dados, faça-o dinâmico, faça-o o seu valor de mercado”.

Sim, existem muitas coisas a serem consideradas: hospedagem, nomes de domínio, criação de conteúdo, programação e manutenção, sem mencionar o preço, mas você precisa se perguntar o quanto sua carreira vale para você? Assim como grande parte das coisas na vida, quanto mais você se esforça, maior o retorno. Também é bom melhorar suas classificações necessitando em SEO.

Caso você já possua um blog ou site, talvez seja hora de uma atualização. Certifique-se de que suas informações de contato sejam facilmente encontradas. Você também pode incluir a URL em currículos e cartas de acompanhamento. Com a taxa de desemprego da TI atualmente em 3,6%, a concorrência é feroz no mercado de tecnologia. Construir uma marca registrada pessoal pode ser uma ótima forma de obter uma vantagem.

Leia mais sobre construção de uma marca pessoal.

“Não pense em você como o arquiteto de sua carreira, mas sim como um escultor. Espere dar muita martelada, escarificação, raspagem e polimento”. – B.C. Forbes

5. Criar ou lapidar os perfis sociais

Perfis de redes sociais se tornaram importantes para o recrutamento no campo da tecnologia. Empregos têm sido obtidos e perdidos devido a eles. Talvez você tenha estado receoso em relação a juntar-se às

redes sociais, mas você não pode arcar evitá-las por mais tempo. Twitter, Facebook, LinkedIn e Google+ se tornaram males necessários à medida que elas se relacionam a tráfego de busca, presença web e contratação de TI.

Recrutadores e empresas estão ficando mais experientes no garimpo de informações a partir dessas redes sociais para buscar o candidato correto. “Construa, mantenha e nutra uma ótima presença/marca registrada online e a oportunidade permanecerá batendo à sua porta”, conta MacPherson. Atualize seus perfis e mantenha-os com uma aparência profissional e o seu próximo trabalho pode lhe encontrar.

Pesquise seu nome no Google ou Bing e veja quais os resultados. Alguma coisa negativa? As chances são de que o pessoal do RH fará uma pesquisa de internet antes de uma entrevista assim como você faria para descobrir o máximo de informações possível sobre a empresa pela qual você será entrevistado. Seja o que for – comentários estúpidos que você fez nos anos anteriores, um processo pendente, uma imagem ruim – olhe-a e prepare-se para explicá-la de alguma forma.

Existem serviços por ai que alegam poder limpar e manter sua reputação online. Caso você tenha tido uma experiência positiva ou negativa com eles, adoraríamos ouvir sobre ela na seção de comentários.

“Ao trabalhar fielmente oito horas por dia você poderá, eventualmente, chegar ao cargo de chefe e trabalhar 12 horas por dia”. – Robert Frost

6. Construir uma rede social

Você já deve ter escutado o provérbio, “não é o que você sabe, é quem você conhece”. Com a emergência de sites de redes profissionais como o LinkedIn e o BranchOut, no Facebook, existem várias formas de aumentar sua rede profissional. “Conectar-se ainda é a forma Nº 1 de fazer oportunidades acontecerem e não se esqueça do contato cara-a-cara”, conta MacPherson.

Com o LinkedIn, por exemplo, você pode seguir empresas que você tem em mente. Conectar-se com pessoas com quem você trabalhou ou que admira. Existem muitos lideres de indústria a serem encontrados no LinkedIn também. Conecte-se e siga-os. Junte-se a um grupo e envolva-se em conversas. Parece muito trabalho, e na verdade é, mas fazê-lo pode ser o proverbial “pé na porta” que você tem buscado.

“Para muitas pessoas um emprego é mais do que o salário – é uma parte importante de quem somos. Então uma transição de carreira de qualquer tipo é uma das experiências mais inquietantes que você pode encarar em sua vida”.  – Paul Clitheroe

7. Reforçar habilidades

“O reforço correto é muito importante – faça-o no momento correto e sempre de forma profissional”, nota MacPherson. Em um mercado de trabalho competitivo como o da TI, você não vai querer deixar as coisas a cargo da sorte. Melhorar seu reforço pode ajudar a manter seu nome na cabeça das pessoas do RH. Mande notas de agradecimento após entrevistas e troque cartões de negócios.

Alguns especialistas recomendam que após uma entrevista você espere de duas a três semanas antes de correr atrás do feedback do seu contato. Talvez alguém tenha ocupado a vaga de trabalho, mas novos cargos abrem a todo momento. Reforçar e permanecer em contato pode lhe possibilitar um papel para o qual você nem mesmo se candidatou.

“Um bom administrador é um homem que não está preocupado com sua própria carreira, mas sim com as carreiras daqueles que trabalham para ele”. – H. S. M. Burns

8. Personalizar cartas de acompanhamento

Uma carta de acompanhamento é projetada para personalizar sua mensagem. Ela é um mostruário para suas habilidades de comunicação, como também o conhecimento transferível para empregadores e recrutadores prospectivos. Utilize sua carta de acompanhamento para convergir como sua experiência e conhecimento agregarão valor para a empresa. Se sua carta de acompanhamento for convincente, existe a possibilidade de que alguém a lerá.

Certifique-se de que não existam erros ortográficos. Caso você não tenha certeza, peça para que um amigo ou colega a leia. Caso exista uma pessoa listada na postagem de trabalho, certifique-se de dirigir sua carta para ele ou ela. O conselho de MacPherson sobre cartas de acompanhamento é simples: “Faça-as de forma concisa e objetiva. Evite parágrafos longos e articule suas qualificações e interesses de forma clara”.

“Descubra o que você gosta de fazer e consiga alguém que lhe pague para fazê-lo”. – Katherine Whitehorn

9. Expandir horizontes

“Caso você não esteja crescendo, você então está morrendo. Cresça, expanda, seja distinto e torne-se inestimável”, contaMacPherson. Saia de sua zona de conforto e aprenda algo novo. Existem muitas opções gratuitas disponíveis para você. Elas podem incluir a biblioteca, um curso local, aulas da faculdade ou seminários. A questão é nunca parar de aprender e crescer.

“Seu trabalho é descobrir seu trabalho e então dedicar-se a ele de todo coração”. – Buda

Retirado do site CIO